Deus e o Barbeiro

O homem foi ao barbeiro para cortar o cabelo, como ele sempre fazia.

Começou a conversar com o barbeiro e falaram sobre vários assuntos.

Conversa vai, conversa vem, eles começaram a falar sobre Deus.

O barbeiro disse:

- Eu não acredito que Deus exista como você diz.

- Por que você diz isto? o cliente perguntou.

- Bem, é muito simples. Você só precisa sair na rua para ver que Deus

não existe. Se Deus existisse, você acha que existiriam tantas

pessoas doentes e crianças abandonadas? Se Deus existisse não haveria

dor ou sofrimento. Eu não consigo imaginar um Deus que permite todas

essas coisas.

O cliente pensou por um momento, mas ele não quis dar uma resposta para

evitar uma discussão.

O barbeiro terminou o trabalho e o cliente saiu.

Neste momento, ele viu um homem na rua com barba e cabelos longos.

Parecia que já fazia um bom tempo que ele não cortava o cabelo ou fazia

a barba.

Então o cliente voltou para a barbearia e disse ao barbeiro:

- Sabe de uma coisa? Barbeiros não existem.

- Como assim, eles não existem? perguntou o barbeiro. Eu estou aqui e

sou um barbeiro.

- Não! exclamou o cliente. Eles não existem porque se existissem não

existiriam pessoas com barba e cabelos longos, como aquele que está

andando ali na rua.

- Ah, mas barbeiros existem, o que acontece é que as pessoas não me

procuram, e isso é uma opção delas.

- Exatamente. afirmou o cliente. É justamente isso. Deus existe. O que

acontece é que as pessoas não O procuram, pois é uma opção delas, e é

por isso que há tanta dor e sofrimento no mundo.

- Fiquem com Deus.

Jesus eu sou o…?

Havia um homem que vivia pelas ruas de uma cidade. Aparentemente, não tinha onde morar. Todos os dias ele entrava em uma igreja e se ajoelhava e imediatamente saía. O zelador daquela igreja ficava sempre atento à entrada daquele homem pois temia que ele estivesse ali para se apropriar. Durante muito tempo aquilo aconteceu. Finalmente, vencido pela curiosidade o zelador se aproximou dele e falou: – Tenho visto que você vem aqui continuamente e se ajoelha e logo em seguida sai. Aquele homem, porém, respondeu: – Sou um homem muito simples, não sei fazer orações difíceis, nem muito longas, então, eu chego me ajoelho para Jesus e digo: Jesus, eu sou o Jaime. Passado algum tempo, aquele homem foi vítima de um acidente e foi internado em um hospital. Com o passar dos dias, a enfermeira que tomava conta daquela ala percebeu que o estado de ânimo das pessoas daquela ala havia melhorado muito. Aquela era uma ala problemática e as pessoas estavam sempre de mau humor, de sorte que uma mudança havia sido operada naquelas pessoas. A enfermeira, se aproximou de um deles e perguntou: – o que está acontecendo por aqui? Ao que um deles respondeu: – É o Jaime ele anda sempre alegre e tem nos animado muito. A enfermeira, ficou curiosa para saber o que acontecia com aquele paciente. Nunca ninguém o visitava, a cadeira reservada aos visitantes ao lado do seu leito estava sempre vazio, contudo, ele não só vivia alegre como também, estava influenciando os outros. A enfermeira, se aproximou de Jaime e lhe perguntou. Tenho estado a lhe observar e vejo que você está sempre alegre. Jaime, respondeu à enfermeira: é o meu amigo, todos os dias ele vem me visitar, senta-se ao meu lado e me diz: Jaime, eu sou Jesus!

A Lição da Borboleta

Um dia, uma pequena abertura apareceu no casulo, e o homem sentou e observou a borboleta por várias horas, conforme ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco.
Então ela parou de fazer qualquer progresso. Parecia que ela já avançara o mais que podia, e não conseguia ir mais longe. O homem decidiu ajudar a borboleta: pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo.
A borboleta saiu facilmente, mas seu corpo estava murcho, era pequeno e tinha as asas amassadas. O homem continuou a observar a borboleta porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo que iria se afirmar com o tempo.
Mas nada aconteceu, a borboleta passou o resto da sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar. O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar não compreendia, era que o casulo apertado, e o esforço necessário a borboleta para passar através da pequena abertura, eram o modo com que Deus fazia com que o fluído do corpo da borboleta fosse para as suas asas tornando-a pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo…
Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossa vida. Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, ele nos deixaria aleijados. Nós não seríamos tão fortes como poderíamos ter sido. Nós nunca poderíamos voar.

Eu pedi Força…. e Deus me deu Dificuldades para me fazer forte.
Eu pedi Sabedoria… e Deus me deu Problemas para resolver.
Eu pedi Prosperidade… e Deus me deu Cérebro e Músculos para trabalhar.
Eu pedi Coragem… e Deus me deu Perigo para superar.
Eu pedi Amor… e Deus me deu pessoas com Problemas para ajudar.
Eu pedi Favores… e Deus me deu oportunidades.
Eu não recebi nada que pedi… Mas eu recebi tudo de que precisava.

Fonte:        ________www.familiaegraca.com.br

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 65 outros seguidores